Vida Pessoal

[CUTUCADA] O Erro Consciente e suas Consequências

Olá, bom dia!!

Como vai?

 

Neste exato momento estou escrevendo, com o barulho da chuva batendo na minha janela…que sensação boa!

Mas hoje eu não vim falar sobre uma coisa muito agradável, na verdade, vim dar uma cutucada em você!!

Nos últimos tempos, temos ouvido muito que o erro faz parte da nossa aprendizagem, e sim, como educadora e treinadora de pessoas, concordo com isso. Quando nos permitimos fazer coisas novas, há uma margem de erro que consideramos parte do novo desafio, e aprendemos com ele. Sou adepta da frase que diz, antes feito do que não feito, incentivo as pessoas a fazerem, fazerem, fazerem…melhor conviver com os erros do que se arrepender de não ter feito!

Essa é uma parte, o erro que faz parte da vida…

A outra parte, é o erro consciente, ou pelo menos quase!

Esse, por mais que nos esforçamos, cometemos, por que somos humanos.

Esses erros são aqueles mais conscientes, que causam algum tipo de desordem no universo – prejudicam alguém ou a você mesmo.

Esse tipo de erro tem consequências. Mentirinhas, trapaças, fofocas, omissões…uma lista enorme…

Quanto mais fico experiente (para não dizer velha!), minha capacidade de enxergar esse tipo de erro, aumenta. E isso é dádiva da idade.

Veja só, um pai de família que perdeu seu emprego por motivo de mentira na empresa e que há mais de um ano não consegue recolocação e como consequência, a família sofre a falta de recursos financeiros.

Por omissão, o casal não tinha o diálogo necessário para reestruturar sua relação. Como consequência, a família foi desconstituída e o sofrimento sentimental se estabeleceu entre seus membros.

São exemplos pontuais, claro que possuem outras variantes, mas servem para ilustrar como atos ou omissões trazem consequência em nossa vida e na vida das pessoas que amamos.

Mas como saber se estamos cometendo esse tipo de erro?

Nossa própria mente faz o alerta, não é mesmo? Nossa formação moral, nossos valores, nos dão o sinal.

Portanto fiquemos alertas, vigiando a nós mesmos para que ao longo de nossa vida corrida, possamos escutar nossa sineta interna de alerta!

 

Um excelente dia consciente para você!

Com amor,

 

Luciana

Você pode estar sofrendo de “Labirintite”!

Você sabe o que é labirintite??

Oiê, td bem? Por aqui, tudo meio zonzo!

Eu já tinha ouvido falar sobre labirintite e essa semana experimentei a danada! Muita tontura, vertigem, enjôo…

A gente sai, literalmente, do eixo, o desequilíbrio físico toma conta do corpo.

Segundo o médico, trata-se o sintoma de imediato, e depois, e mais importante, investiga-se a causa, que vai desde a falta de alguma vitamina a problemas mais complexos de metabolismo.

O interessante dessa situação foi perceber que às vezes, a gente tem “labirintite” na vida que estamos vivendo, tendo o desequilíbrio como sintoma principal.

Para esse desequilíbrio, a gente fica dando analgésicos em diversas formas: compras (algumas até que não podemos!), excesso de bebidas e comidas (aiii, os quilinhos a mais), passeios, horas de televisão ou celular…seja lá qual for o remédio, ele é apenas um paleativo, não age na causa!

A vida imita o corpo!

É preciso buscar as causas do desequilíbrio e tratar!

Assim como a causa de uma labirintite patolólogica, pode ser a falta de alguma vitamina (uma causa pequena), a causa da “labirintite” da vida também pode ser pequena!

Grande ou pequena, a causa precisa ser investigada.

Pequenos ajustes na vida levam você em direção a vida que você quer!

Perceba como anda sua saúde, seus relacionamentos, sua vida social, financeira, amorosa, espiritual…o que precisa ser ajustado?

E pasme! Necessariamente, não precisa ser uma “causona”! “Causinhas” fazem grandes estragos!

Então, bora investigar e agir na causa??

Xô zonzeira!!!

Abraços!

Luciana

A felicidade mora no equilíbrio

Quanto mais o tempo passa, mais tenho a convicção que a felicidade mora no equilíbrio das coisas.

Se você trabalha por capricho, sua família sofre sua ausência.

Se você não administra bem o seu tempo, perde a chance de cuidar da sua saúde.

Se dá atenção demais às distrações da internet, que são muitas, eu concordo!, deixa de conhecer quem está ao seu lado…

Se você se joga na alimentação atraente dos shoppings, seu corpo padece…

E por aí vai…

Você deve ter vários exemplos assim…eu ficaria muito tempo escrevendo sobre eles.

Mas como equilibrar?

Primeiro, você precisa descobrir o que está desequilibrando sua vida, certo?

Você pode até ter uma ideia, mas quando se dedica a um estudo detalhado sobre isso, você se surpreende!

Vou te ajudar nisso, disponibilizando aqui, um instrumento muito conhecido na área de coaching, o mapa da vida ou roda da vida, é por ele que eu começo meu trabalho com meus clientes. Ninguém vai a algum lugar se não sabe onde está.

Você pode baixá-lo aqui gratuitamente!

É muito fácil usá-lo.

Veja:

  • Tire um tempo para você! Reserve um local tranquilo, um horário só seu, em que você fará uma viagem interna.
  • Comece a analisar as áreas dispostas na roda da vida, uma a uma, com calma e profundidade.
  • Dê uma nota de 1 a 10 para cada área e pinte o número correspondente.
  • Ao final você terá uma visão clara das áreas, que neste momento, estão precisando de sua maior atenção.

 

Pode ser que você já tenha feito essa atividade anteriormente, mas isso não impede que você faça de novo. Os resultados podem ser diferentes conforme a fase de vida que está vivendo agora.

 

Essa é uma versão simples e de auto aplicação que já vai lhe dar uma luz no fim do túnel, um norte, um caminho por onde começar ou recomeçar.

Nos processos de coaching e terapia comportamental, a condução do instrumento é mais detalhada e profunda.

 

Eu gosto muito desse instrumento e de verdade, gostaria da sua opinião sobre ele.

– Como foi realizar a atividade?

– Qual área da sua vida está precisando de ajuda?

Coloque aí nos comentários, ok?

 

Lembre-se: A felicidade mora no equilíbrio!

Grande abraço!!

LC

A vida é assim! (será?)

A vida é assim! (será?)

Você trabalha seis dias por semana, doze horas por dia. Dá a sua família tudo do bom e do melhor, casa confortável, carro do ano, viagens periódicas, roupas de marca, escola particular de alto nível, ótimos restaurantes, melhores tecnologias, casa na praia, festas, consumo…Cumpri seu papel, não é mesmo?

Com essas conquistas, alguns problemas de saúde apareceram, mas que Graças a Deus, você pode pagar pelo tratamento caro!

Ao longo do caminho, você abriu mão de algumas coisas, um tempo a mais com seu filho, um jantar com seu cônjuge, uma reunião escolar, um almoço em família.

Nem tudo é perfeito, um de seus filhos está meio revoltado, mas é “coisa da idade”.

Seu cônjuge pouco fala com você, porque ele aprendeu a suprir sua ausência de outras formas…

Há um vazio no seu peito, uma busca por algo que você ainda não encontrou neste mundo e não sabe por onde procurar…

Você tem amigos? Parece que sim, embora eles apareçam sempre em ocasiões festivas. Quando você precisa de ajuda, eles estão ocupados, mas a vida é assim, todos tem seus compromissos, afinal, você já passou por isso também.

Você tem sucesso no trabalho, mas não gosta dele. Mas porque reclamar, se ele já te trouxe tanto, não? Ao longo do tempo, seus colegas de trabalho te “respeitam” porque viram que com você o negócio é diferente, resultados acima de tudo e qualquer pessoa.

Aquele projeto que ia mudar o mundo, você já engavetou há muitos anos!

Você anda meio irritado, meio sem paciência. O mundo está cinza para você! Mas a vida é assim, tanto trabalho, tanto com que se preocupar, a gente fica cansado.

Você cumpre seus preceitos religiosos porque isso vem de família. Você não vê o sentido mas não tem tempo para cuidar de sua alma agora, quem sabe, quando estiver mais velho, aposentado…

Você convive com tantas pessoas, está cercado de gente o tempo todo, mas sente solidão frequentemente.

Você doa dinheiro à instituições, mas não consegue visitar um doente.

Você critica a educação do país, mas não para na faixa de pedestre.

Você prega pela moral, mas assiste ao big brother.

Você, você, você, eu, eu, eu…nós!

 

A vida é assim! Será?

 

Acredito que não!

Nem cá, nem lá, mas em equilíbrio!

Com Deus, com o outro, com a natureza e com você mesmo!

 

Busque e acharás!!

Sempre é tempo!!