Equilíbrio Emocional

[CUTUCADA] O Erro Consciente e suas Consequências

Olá, bom dia!!

Como vai?

 

Neste exato momento estou escrevendo, com o barulho da chuva batendo na minha janela…que sensação boa!

Mas hoje eu não vim falar sobre uma coisa muito agradável, na verdade, vim dar uma cutucada em você!!

Nos últimos tempos, temos ouvido muito que o erro faz parte da nossa aprendizagem, e sim, como educadora e treinadora de pessoas, concordo com isso. Quando nos permitimos fazer coisas novas, há uma margem de erro que consideramos parte do novo desafio, e aprendemos com ele. Sou adepta da frase que diz, antes feito do que não feito, incentivo as pessoas a fazerem, fazerem, fazerem…melhor conviver com os erros do que se arrepender de não ter feito!

Essa é uma parte, o erro que faz parte da vida…

A outra parte, é o erro consciente, ou pelo menos quase!

Esse, por mais que nos esforçamos, cometemos, por que somos humanos.

Esses erros são aqueles mais conscientes, que causam algum tipo de desordem no universo – prejudicam alguém ou a você mesmo.

Esse tipo de erro tem consequências. Mentirinhas, trapaças, fofocas, omissões…uma lista enorme…

Quanto mais fico experiente (para não dizer velha!), minha capacidade de enxergar esse tipo de erro, aumenta. E isso é dádiva da idade.

Veja só, um pai de família que perdeu seu emprego por motivo de mentira na empresa e que há mais de um ano não consegue recolocação e como consequência, a família sofre a falta de recursos financeiros.

Por omissão, o casal não tinha o diálogo necessário para reestruturar sua relação. Como consequência, a família foi desconstituída e o sofrimento sentimental se estabeleceu entre seus membros.

São exemplos pontuais, claro que possuem outras variantes, mas servem para ilustrar como atos ou omissões trazem consequência em nossa vida e na vida das pessoas que amamos.

Mas como saber se estamos cometendo esse tipo de erro?

Nossa própria mente faz o alerta, não é mesmo? Nossa formação moral, nossos valores, nos dão o sinal.

Portanto fiquemos alertas, vigiando a nós mesmos para que ao longo de nossa vida corrida, possamos escutar nossa sineta interna de alerta!

 

Um excelente dia consciente para você!

Com amor,

 

Luciana

Você pode estar sofrendo de “Labirintite”!

Você sabe o que é labirintite??

Oiê, td bem? Por aqui, tudo meio zonzo!

Eu já tinha ouvido falar sobre labirintite e essa semana experimentei a danada! Muita tontura, vertigem, enjôo…

A gente sai, literalmente, do eixo, o desequilíbrio físico toma conta do corpo.

Segundo o médico, trata-se o sintoma de imediato, e depois, e mais importante, investiga-se a causa, que vai desde a falta de alguma vitamina a problemas mais complexos de metabolismo.

O interessante dessa situação foi perceber que às vezes, a gente tem “labirintite” na vida que estamos vivendo, tendo o desequilíbrio como sintoma principal.

Para esse desequilíbrio, a gente fica dando analgésicos em diversas formas: compras (algumas até que não podemos!), excesso de bebidas e comidas (aiii, os quilinhos a mais), passeios, horas de televisão ou celular…seja lá qual for o remédio, ele é apenas um paleativo, não age na causa!

A vida imita o corpo!

É preciso buscar as causas do desequilíbrio e tratar!

Assim como a causa de uma labirintite patolólogica, pode ser a falta de alguma vitamina (uma causa pequena), a causa da “labirintite” da vida também pode ser pequena!

Grande ou pequena, a causa precisa ser investigada.

Pequenos ajustes na vida levam você em direção a vida que você quer!

Perceba como anda sua saúde, seus relacionamentos, sua vida social, financeira, amorosa, espiritual…o que precisa ser ajustado?

E pasme! Necessariamente, não precisa ser uma “causona”! “Causinhas” fazem grandes estragos!

Então, bora investigar e agir na causa??

Xô zonzeira!!!

Abraços!

Luciana

Faça as pazes com suas emoções!!

Medo, raiva, tristeza e alegria…, às vezes temos todas as emoções em um único dia, não é mesmo?

 

Você sabia que essas são as quatro emoções básicas do ser humano? Elas são a base das nossas outras emoções e quer você queira ou não, elas estarão presentes em sua vida seja lá qual momento está vivendo.

 

E, pasme! Elas tem um lado positivo em nossas vidas!

 

As emoções ajudam no nosso autoconhecimento.

Nos permitem perceber como estamos vivendo o aqui e o agora, como nos comportamos e como seguir em frente.

 

Para isso, basta que as reconheçamos no contexto em que se manifestam, seu grau e o que estão querendo “dizer” sobre nós mesmos.

 

A tristeza, por exemplo, pode ser sinal de algum cansaço, de uma desilusão amorosa ou profissional…dentro da normalidade, digamos assim; porém, se a tristeza torna-se repetitiva e nós não tomamos atitudes para acabar com a causa, ela pode te levar a uma doença, como a depressão.

 

Ter medo faz parte de um instinto de proteção, mas não enfrenta-lo e deixa-lo crescer, pode gerar em você, algo como fobias, por exemplo.

 

E ser alegre, não é bom? Claro que sim! A alegria é uma emoção de expansão, ela nos ajuda a criar vínculos com as pessoas, se bem gerenciada nos permite serenidade e plenitude. O contrário, pode trazer euforia e frustração.

 

A raiva também é considerada uma emoção de expansão, ela nos permite tirar do caminho aquilo que nos incomoda, que é injusto ou que nos faz mal. A raiva pode nos impulsionar a tomar atitudes que nos favoreçam, porém, a explosão e a falta de controle dessa emoção pode trazer consequências desastrosas.

 

Minha dica de hoje para você é:

Faça as pazes com suas emoções. Elas não são suas inimigas, ao contrário, são sinalizadores para que você viva em equilíbrio.

 

Aprenda a olhar para suas emoções como suas aliadas, fique atento, controle-as e tome as rédeas de sua vida.

 

E como diz Roberto:

 

“Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi”

Viva com emoção!!

Um abraço,

Luciana

=======================

P.s. E por falar em emoções, na próxima terça-feira, dia 16/02, receberei no nosso canal do youtube, o Braz que falará sobre como fazer as pazes com sua emoções e nos ensinará tudo sobre Liderança Emocional. Será as 21h, horário de Brasília! Quero ver você lá!!

Afinal, o ano só está começando e aprender a liderar nossas emoções nos ajuda a conquistar muitas coisas ao longo do caminho, eu garanto!

Acesse o link e participe deixando suas perguntas sobre o tema:

http://avidaquevocequer.com.br/ao-vivo-na-vida/

4 venenos (Culpa, Vergonha, Medo e Ansiedade) que atrapalham seus melhores planos

4 venenos (Culpa, Vergonha, Medo e Ansiedade) que atrapalham seus melhores planos

Em alguns momentos de nossa trajetória profissional, trabalhando com desenvolvimento humano, eu e o Braz, meu marido, ficávamos encucados com o fato de algumas pessoas não alcançarem seus melhores planos, embora fossem disciplinadas e comprometidas.

Depois de muito estudo, mentoria e prática, descobrimos que existem 4 elementos capazes de derrubar qualquer vontade, plano e, consequentemente sonhos. Quatro venenos que minam nossa energia e que nos fazem desistir (as vezes, de tudo!)

2 desses venenos estão no nosso passado: Culpa e Vergonha e os outros 2 no nosso futuro: Medo e Ansiedade

 Nem é preciso discorrer sobre Culpa, Vergonha, Medo e Ansiedade…tenho absoluta certeza que você sabe o que são e como mexem com você!

Identificar os 4 venenos em nossa vida é tarefa fácil. Difícil é saber como superá-los, não é mesmo?

Bem, a boa notícia é que nós, eu e o Braz, também descobrimos como driblá-los, e queremos compartilhar essa experiência com vocês!

Nesta 5ª feira, 26/11 às 20h (horário de Brasília), o Braz, meu marido estará ao vivo, falando sobre estes 4 venenos.

O Braz é um expert nesse assunto e desenvolveu um método eficaz de driblar a culpa, vergonha, medo e ansiedade que te impedem a ter uma vida com mais realizações, e somente, nesta 5ª feira, ele te conduzirá por uma de suas técnicas, ao vivo, para que você tenha, além do conhecimento, recursos para deslanchar seus planos.

Assista, comente, compartilhe!