Mãe canguru

 

Sou, com orgulho, mãe canguru!!!

Ultimamente tenho observado a minha volta muitas mães levando seus filhotes junto ao corpo com ajuda do sling ou algo semelhante, que fiquei com saudade de quando os meus filhos eram bebês. Fico feliz que as jovens mães tenham trocado o carrinho de bebê pelo contato corpo a corpo.

O termo mãe canguru é utilizado para definir uma técnica de cuidados ao bebê prematuro, de pouco peso, ao qual bebê e mãe (na maioria das vezes) ficam juntos, pele a pele, para estimular o desenvolvimento, amamentação e vínculo entre a mãe e o bebê. Os resultados são admiráveis!

Termos e observações à parte, o fato é que filho tem que ficar perto da mãe! Não há controvérsia sobre isso!

Tenho três filhos e como a maioria das mulheres precisei trabalhar. Minha vida profissional é uma colcha de retalhos, porque a cada filho que tinha dava um jeito de sair do trabalho para cuidar deles… e creio que isso tenha feito toda a diferença.

Ao longo da minha vida como mãe, quando estava longe dos meus filhos, ouvi muitos conselhos do tipo…”eles vão crescer” “isso passa” “criança esquece” “eles estão bem cuidados” “você pode oferecer tanta coisa pra eles trabalhando…”

As vezes me achava uma ET – “Será que só eu penso que filho tem que ficar com a mãe?”

Adaptações precisam ser feitas, é claro! Mas é possível planejar e por em prática a vida que você quer conciliando a maternidade com trabalho. Basta querer de verdade.

Estou participando de um grupo de mães, enlouquecidas de amor, ocitocina pura, que está organizando um espaço para trabalhar e cuidar dos filhos, um espaço de Coworking e cuidados compartilhados, o projeto está caminhando e será verdadeiramente um sucesso. Há dezoitos anos, quando meu primeiro filho nasceu, era tudo que eu queria, trabalhar e ficar com ele…ual!!! É bom poder contribuir com isso! É uma quebra de paradigmas sociais!

Mãe pode trabalhar e pode ser mãe! Basta ajustar-se e ter a vida que sempre quis!

Ontem sentei-me no sofá e minha filha caçula de quatro anos deitou-se sobre mim, fomos nos ajeitando, ela buscou o som do meu coração com seu ouvido, nossa respiração se emparelhou e o peso do seu corpo caiu todo sobre o meu, naquela confiança singular que filho tem pela mãe, engatando um sono vespertino profundo.

Me senti uma mãe canguru!!! Nem preciso dizer o quanto meu coração se encheu de amor!!

Momentos mágicos como esse acontecem diariamente na minha vida desde que assumi verdadeiramente minha missão de mãe.

Meus filhos maiores, também deitam-se no meu colo, abraçam-me constantemente e juras de amor são ditas pelos quatro cantos da casa.

Parece um sonho? Mas é realidade! Realidade construída dia a dia, tijolo por tijolo. Dicas? Muito amor, muito colo, muita atenção olho no olho, muito “mãe canguru”!

 

Já canguruou hoje?

 

Com amor às mamães de plantão,

 

Luciana Cairo

 

P.S. Jeitos de cangurear…pegar no colo, abraçar, beijar, lamber, cheirar, fungar o pescoço, cochichar no ouvido, fazer corações com as mãos, sorrir, gargalhar junto, contar uma piada, rolar no chão, fazer corrida de cavalinho, fazer massagem (como você, seus filhos adoram, aposto!)…infinitas possibilidades para cangurear nA Vida Que Você Quer!!