Meu dia dos namorados – parte 2

Então…continuando…(se você não leu a primeira parte, pode clicar aqui!)

 

Fui medicada, não morri…voltei para casa…no dia dos namorados…

 

Em casa, além da preocupação com o pescoço, começamos a cuidar da pressão, afinal sou filha de dois hipertensos e a probabilidade é grande de em algum momento da vida eu ser também.

 

Pegamos um aparelho que tínhamos da época das gravidezes e medimos minha pressão que estava ok!

Para ter certeza, meu marido mediu a dele que não estava ok!

 

Ficamos com muitas dúvidas até constatarmos que o hipertenso da vez era ele e não eu.

 

Por que eu te conto tudo isso?

 

Porque em meus ebooks e textos oriento as pessoas a sentirem gratidão até nos momentos mais difíceis. Não é fácil, admito. Mas tem sua razão.

O que aconteceu comigo foi um exemplo concreto. Se eu não tivesse me adoentado, não saberia que meu marido precisava de cuidados.

 

Essa foi uma das razões para que eu me sentisse grata pela doença.

 

Ver os acontecimentos da vida com outros olhos. Acentuar o positivo!

 

Desejo que você treine a gratidão nos momentos difíceis de sua vida!

 

Acentue o positivo!

 

Luciana

(no meu novo ebook, tenho uma semana inteirinha dedicada a gratidão para momentos difíceis…em breve!)