Neurociência e o poder da gratidão

OiOiOi!!

 

Como está sendo sua semana?

 

Hoje pela manhã, enquanto me preparava para escrever para você, recebi um texto sobre como a neurociência explica o poder da gratidão em nós (juro para você que recebi hoje de manhã! Lei da atração! Providência total!)

 

Fiquei muito feliz em ler o texto, porque ele condensa muitas das coisas que falo por aí sobre gratidão. Então, resolvi compartilhar com você e espero que goste!

 

O texto não é meu e se alguém achar o dono, me fale, que dou todos os créditos e referências.

 

Já os negritos do texto, esses sim são meus, para que você não perca nenhuma informação importante.

 

Semana que vem, continuo o assunto, ok?

 

Grande beijo!

 

Luciana Cairo

 

“A neurociência explica o poder da gratidão na nossa vida, manifestada em nosso corpo através do sistema hormonal.

Quando geramos sentimentos de gratidão em nossos pensamentos, ativamos o sistema de recompensas do nosso cérebro, localizada numa área chamada Núcleo accumbens (ou NAc). Este sistema é responsável pela sensação de bem estar, prazer, impulsividade e comportamento maternal do nosso corpo.

Quando o cérebro identifica que algo de bom aconteceu, que fomos bem sucedidos e que existem coisas na nossa vida que merecem reconhecimento e somos gratos por isso, ocorre liberação de DOPAMINA, um importante neurotransmissor que aumenta a sensação de prazer. Por isso, pessoas que manifestam gratidão pelas coisas que lhes acontece, vivem em níveis elevados de emoções positivas, satisfação com a vida, vitalidade e otimismo.

A gratidão precisa ser construída pelo nosso pensamento consciente. Para que isso torne-se um hábito, é preciso que você construa o reconhecimento interno pensando em suas conquistas. Por isso se diz que devemos ser gratos pelas menores conquistas, assim mantemos ativo este incrível canal hormonal de satisfação.

Por outra via neural, a gratidão estimula as vias cerebrais para a liberação de outro hormônio chamado OXITOCINA, que estimula o afeto, traz tranquilidade, reduz a ansiedade, o medo e a fobia.

Exercitar o sentimento de gratidão dissolve o medo, a angústia e os sentimentos de raiva. Fica mais fácil CONTROLAR os estados mentais tóxicos e desnecessários, e por fim, ser resiliente a ponto de controlar internamente qualquer coisa que venha de fora (fatores externos).

O nosso cérebro não é capaz de sentir, ao mesmo tempo, gratidão e infelicidade, portanto, você é que faz a escolha.

Ocupe seu espaço interno e exercite diariamente a gratidão. Para fazer com que seu dia comece de forma positiva, já pela manhã experimente pensar nos diversos motivos que você tem para sentir gratidão.

E termine seu dia refletindo sobre as realizações que lhe deram prazer.”