fracasso

A única função do fracasso

Se você está aqui há mais tempo já sabe que deixei meu trabalho, seguro, quentinho, aconchegante e bem remunerado por causa do meu grande e absoluto propósito de estar junto e cuidar da minha família!

 

Por consequência comecei a empreender como coach e hoje tenho uma empresa de treinamentos pessoais e profissionais.

 

Mas nem tudo deu certo neste caminho, alguns fracassos apareceram no meio da história, não por minha vontade, claro, mas por falta de experiência, talvez.

 

Ninguém se planeja para o fracasso. Ele é dolorido, nos coloca para baixo, nos faz retroceder e abre a porta faladeira do comitê de “merda”, desculpe a expressão.

 

(comitê de “merda” são aquelas vozes danadas de nossa cabeça que só apresentam negativas – “você não é capaz” – “esse negócio não é para você” – “você não está preparado” – “você errou de novo”…e por aí vai!)

 

No meio de alguns fracassos (parecia até mesmo uma tentação!), surgiram trabalhos daqueles que eu estava acostumada a fazer, que sem falsa modéstia, faço com o pé nas costas, de ótimos salários e grandes jornadas de trabalho e confesso que por duas vezes fiquei na dúvida se aceitava ou não. O trabalho proveria minha vida material mas não me dava a liberdade de estar com minha família e viver a vida que eu queria.

 

Transpor essa situação requereu uma grande confiança em mim mesma e a clareza daquilo que eu realmente queria para minha vida.

 

A única função do fracasso em nossa vida, pessoal ou profissional é a pergunta que ela traz consigo:

“Você quer realmente seguir esse caminho?”

 

E no meu caso, a resposta foi SIM!

O fracasso já te fez essa pergunta?

Qual foi sua resposta?

O que mudou depois disso?

 

Responde prá mim!

 

Grande e abençoada semana!

 

Luciana

 

Por que chamo você de “vivente”?

Primeiro porque você está vivo!

Segundo porque está em busca de ter a vida que você quer e não ser apenas um sobrevivente.

Quer ter poder de escolha, e não ser escolhido pelas situações que a vida lhe impõe, capiche?